Fazenda histórica preserva receitas antigas dos tempos coloniais

 em Notícias de Pirenópolis

fazenda_babilonia

O acervo histórico de uma fazenda em Pirenópolis virou atração para visitantes de todo o país. A Fazenda Babilônia tem mais de 200 anos, foi construída por escravos e abrigou até um engenho.

A propriedade tem mais de 1,2 mil hectares e é a mais antiga de Goiás. Fundada no século 18, a propriedade foi tombada há 53 anos como Patrimônio Histórico Nacional.

A principal fonte de renda vem do gado de corte, outra atividade importante é o turismo rural. A dona da propriedade do século XVIII, Telma Machado, apaixonada por história, mantém vivas receitas antigas de dar água na boca.

A sede, comprada em 1870, segue o estilo bandeirista, um tipo de arquitetura difundida pelos bandeirantes, quando os exploradores saiam de São Paulo para escravizar indígenas, procurar ouro e outras riquezas.

Ao longo do ano, Telma recebe visitantes de várias partes do Brasil e de outros países, que buscam conhecer um pouco da história e da boa mesa da região. Ela ensina a preparar a matula de galinha e o bolo da senzala, duas receitas típicas da cozinha colonial goiana.

Matula de galinha

Ingredientes
1 galinha caipira (ave velha de preferência)
100 gramas de farinha de milho
50 gramas de banha de porco
1 colher de sopa de alho amassado
1 colher de chá de açafrão da terra, também conhecido como cúrcuma
Pimenta de cheiro e sal a gosto
Palha de milho para embalar

Modo de preparo
Corte a galinha em pedaços. Retire as vísceras e ossos. Leve as partes de carne para um moedor. Passe a farinha de milho em uma peneira para ficar bem fininha. Em uma gamela, misture a carne moída com os outros ingredientes. Misture bem a massa e faça bolinhos. Embale e amarre os bolinhos na palha de milho, que deve passar por uma boa fervura. As matulas prontas são colocadas em uma assadeira e levadas ao forno, onde ficarão por cerca 20 minutos. A receita rende cerca de 40 ou 50 matulinhas.

Bolo da senzala


Ingredientes

1 litro de garapa de cana
½ quilo de fubá de canjica
2 xícaras de farinha de trigo
½ xícara de açúcar
1 colher de sopa de fermento
1 copo de leite
100 gramas de manteiga
cravo e canela em pau
algumas folhas de bananeira

Modo de preparo
Despeje a garapa em uma panela no fogo baixo. Depois, coloque a manteiga, o açúcar, o leite, a canela em pau quebrada em pedaços menores e um pouco de cravo. Quando o líquido começar a ferver, acrescente a farinha de trigo e o fubá de canjica.

Coloque a massa em uma tábua. Acrescente o fermento e sove bem por uns 10 minutos. Faça pequenos bolinhos com a massa e embale cada um na folha de bananeira. Leve as trouxinhas ao forno por 20 minutos.

No passado colonial, a mesa farta das fazendas tinha também o objetivo de estimular a conversa com os visitantes, que muitas vezes vinham de longe.

Esse post foi útil para você?

Clique na estrela para votar!

Classificação média da publicação 5

Seja o primeiro a votar!

Já que gostou ...

Que tal nos seguir nas redes sociais também?

Qual sua opnião?